sábado, 28 de fevereiro de 2015

CRÔNICA DA SEMANA: CAVALEIRO DE FINA ESTAMPA

Professor Adaias Torres e Doutor Ary Vital


(((( In Box)))

- Boa tarde, tudo bem? Em breve estarei lhe visitando. Falei
- Boa tarde Doutor, pode vir. Estarei lhe esperando. Aqui no trabalho ou em casa? Ele me respondeu com uma firmeza ex-cep-cio-nal (Perdoem-me os alunos CDFs do Programa de TV Soletrando, se não acertei na separação das vogais. Vagamente me lembro que era assim. Meu tempo de Nerd já passou).
Fiquei naquele meu momento que denomino de “um instante que não para”. Pensando...pensando...pensando e falando comigo: “Égua, ele nem me perguntou o que eu iria fazer ali ou qual era o motivo da visita”.
- Aonde você preferir. Falei.
-E com a polidez de um cavaleiro de fina estampa somente vista na melhor literatura portuguesa, ele me responde: - Será uma grande honra.
Com esta atitude e educação, ele me jogou num “umbral” e ali pensei sentado numa pedra de prata refletindo:  “Quanto tempo não tenho um papo tão reto e transparente e nem o conheço direito. Taí gostei. Então voltei a este plano terreno”. - Legal. Papo reto.   Gosta de desenhos animados? Eu, estava relendo algumas monografias para correção nos termos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) me enviadas no ano passado via e-mail por antigos alunos, me deparei com um tema escolhido para a dissertação final do Curso de Administração, onde o aluno faz alusão ao desenho do Kung Fu Panda e a idéia de coordenação, disciplina, coordenação e liderança. E quando eu li, tive um insight que a crônica da semana deveria ser com você Adaías, embora nosso contato seja apenas por face.
Então saí do in box e fui para vida presencial. (Aliás, hodiernamente, a vida virtual e presencial é uma só e esta toda junta, misturada e triturada como uma potente vitamina com cereais batidos no liquidificador de alta rotação, onde o resultado final é a dialética. Putz, viajei na maionese...Será? Que nada, relaxa...diariamente quando não somos jogados involuntariamente à cova dos leões, nós mesmos nos jogamos por pura vaidade. Não é?...É verdade sim...hum hum).
Eu já tinha até me esquecido como a vida presencial é tão boa, mas como num toque de Midas, acabei tendo uma conversa de fim de tarde a-gra-da-bi-lís-si-ma  (Mais uma vez me perdoem os Nerds do Soletrando). Pude conhecer um pouco da história do professor Adaías Torres Souza. Folheei as suas páginas da vida ali mesmo, sem qualquer restrição ou pudor. Compartilhamos “causos”.  Falamos de ética, superação e curiosidades. Duas delas me chamaram atenção: 1ª – Ele foi o terceiro bebê nascido no hospital de Rurópolis, antes havia nascido duas meninas e 2ª Ele é um excelente remador. Num passado não tão distante, ele teria pegado uma canoa e por não saber remar direito, o rio braço leste/Tambor foi lhe levando até se confrontar com uma cachoeira. Teve que tirar forças internas (muscular e psicológica) para salvar a sua própria vida e o fez. Desesperadamente, remou até se abrigar nuns galhos próximos à margem. Éguaaaaa...quando me contou isso me senti num filme de Indiana Jones.
- Doutor. Todos nós temos momentos que são “divisores de águas”. Este literalmente para mim foi um, desde aí aprendi a remar.
Mas a conversa não parou por aí e vi o quanto somos parecidos no quesito “me traga um limão que eu faço uma limonada”, ou seja, diante de um problema (limão) busquemos uma solução (limonada).  É conjugar verbos como criar, reerguer, transformar, inovar como ele bem me falou que transformou uma empresa descapitalizada num negócio qualificado e competitivo.  
E vi que estava certo... Aliás...Aliás...Aliás... Meu eterno mestre e amigo Professor Jair Guimarães que estava certo, ele me fez acreditar nisso, sempre me dizia: “Gosto de você rapaz, tens feelling para as pessoas. És uns bom perfilador”. Eu nem sabia o que era isso... Somente fui saber disso após muitos anos quando passei fazer terapia e assistir na TV Criminal Minds.  Mas, voltando ao assunto, porque até agora o Kung Fu Panda não apareceu na história.  Nos meios de uns e outros ensinamentos e chamadas de alunos pude avaliar o quanto Adaías é um professor dedicado e atencioso, (eu já teria pirado), fazendo jus ao que me narrou sobre seu Centro Educacional Inovar (olha o Merchandising...abafa).
Se eu soubesse desenhar como meu primo Vital Amorim, claro que eu desenhava, mas como não sei apenas assisto. E como uma criança eu fico encantado como as animações de hoje estão cada vez mais retratando a realidade. Os desenhos animados estão personificados, o Príncipe é um Ogro e a princesa também (a beleza interna), Nemo com suas limitações físicas embarca numa enorme aventura submarina (superação), Madagascar (amizade/senso coletivo/diversidade), Como treinar seu dragão (inclusão/companheirismo/senso coletivo), Robôs (Inovação x Arcaico) e o Kung Fu Panda (Aprendizado/Superação e Liderança).  Como falei: que quando li as teses me mandaram, percebi que tinha tudo a ver com alguém que era envolvido com a construção do saber no município e primeira pessoa que me veio à cabeça foi Adaías.

Ba-ta-ta (desculpem-me os nerds, mas desta vez eu acertei). Tão quanto a mim, ele gosta de desenhos e consegue enxergar tais ensinamentos e suas mensagens. Lembro muito dos contos de Capitão Gancho e Peter Pan na Terra do Nunca. Aliás...todos nós em certo momentos temos nossa Terra do Nunca, onde tudo é possível e belo (comentário: para os que não são da minha época...eita época boa... onde se lê Terra do Nunca, leiam Nárnia. Só muda os personagens, mas a essência é a mesma).
E cadê o Kung Fu Panda?  Vamos lá. É um filme de animação em computação gráfica digital dos estúdios DreamWorks Animation que narra a história de “Po”, um panda que sonhava em ser lutador de Kung Fu que, no início desacreditado alcança a posição de mestre e respeito de todos após sua disciplina e dedicação. Mas, para isso, ele passa por uma série de desafios, de etapas até brotar dele e perceber que ali havia um líder. Mestre Shifu ficou encarregado de mostrar este caminho. Segundo o filme, são características de um líder segundo Kung Fu Panda: Coragem/ Ver o todo, mas também o individual/ Humildade/ Saber delegar funções/ Saber assumir o controle/ Dedicação/ Auto-conhecimento/ Espiritualidade/ Paciência/ Acreditar nas pessoas/ Saber motivar/ Ser um líder servidor.
Bom encontrar outros Kung Fu Pandas. Bom encontrar pessoas que lutam por seus sonhos e ideais. Bom encontrar outros cavaleiros de finas estampas.
- Adaías, para finalizar, eu te ofereço um tabuleiro de palavras, escolha as suas.
- Sabedoria, força e beleza. Ele finalizou.
Obrigado por ter me recebido em seu espaço com tamanha gentileza. Te desejo que Deus continue iluminando teu caminho, tua vida pessoal e teus negócios. Grande Abraço. Para todos um excelente fim de semana. 


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

VENDE-SE UMA CASA

Imóvel visto da rua

Interior

O senhor EDUARDO PRUDENTE está vendendo uma casa localizada no Bairro Zanotto, nesta cidade. O imóvel fica na avenida principal daquele bairro. É um imóvel em alvenaria, recém construída, toda murada, porteiro eletrônico, portão da garagem eletrônico, garagem para duas caminhonetes, uma suíte 6,00m x 6,00m, quarto de visita 4,00m x 4,00m, banheiro social 1,60mx2, 50m, cozinha com balcão americano 4,50mx3. 00m, sala 4,50mx3, 00m, varanda de serviço, poço semi-artesiano. 150 metros de área construída, a casa é 10mx12m mais a garagem de 5mx6m. CONTATO ATRAVÉS DO TELEFONE 093-99115-8775. Entre em contato com o proprietário para melhores informações. VEJA MAIS DETALHES DO IMÓVEL, CLICANDO ABAIXO.



ATLETAS RUROPOLENSE BRILHAM NA COPA INTERNACIONAL DO LEME



Equipe do Colonial
O time do Colonial, uma equipe amadora da capital, fez um projeto com vários atletas sub 15, sub 17 e sub 20, para disputar o torneio internacional do Leme, município do interior do Estado de São Paulo no final do mês de janeiro. Participaram 110 equipes, divididas nas categorias sub15, sub17e sub20 de diversas cidades brasileiras e várias equipes de outros países. Para reforçar a sua equipe, o Colonial contou com vários atletas da nossa região. O projeto deu certo! O Colonial Esport Clube foi campeão nas categorias sub 17 e sub 20. Mas tudo isso aconteceu por esforços de pais e atletas. O atleta Johan Felipe, mais conhecido por “Phillipinho Stronda” que Joga no time sub 17 do Paysandu, através da boa amizade com o presidente do Colonial, senhor Ricardo, convenceu seus genitores Jucivaldo Melo o (CI) e senhora Ana Lucia dos Santos para selecionar os atletas da região, com a ajuda do futebolístico Arimatéia, o “Ari” e do Sargento Siqueira.
Phillipinho com seus genitores e Enio (Placas)

Seguiram para compor o Colonial os seguintes atletas que foram os destaques do time: Johan Felipe, João (filho do Sargento PM Siqueira), Zé Pequeno, Alinha,  Wallam, Iverson, Matheus, Marlison (Nenê), também acompanharam a delegação três atletas do município de Placas, o Goleiro Flávio, Enio, e Elielson, atacante, além do Cairo lateral esquerdo do Norte Clube de Santarém. Os atletas da nossa região fizeram tanto sucesso que varias equipes já estão interessadas por alguns. Os atletas Johan e Iverson já estão arrumando as malas para viajarem até Porto alegre e defenderem a equipe do Grêmio Portalegrense.
No mês de março no período de 07 a 11, estará em Ruropolis um olheiro do grêmio de porto Alegre, para fazer uma avaliação (peneira) entre os atletas na faixa etária de 13 a 20 anos para selecionar novos craques do futebol da Região, inclusive, fica o convite para todos os atletas das cidades vizinha que queiram participar desta seletiva. Podem marcar presença no estádio Municipal de Rurópolis, também podem entrar em contato com os senhores Ari e Jucivaldo Melo. Para melhores informações ligue: (93) 99163 1783, (93) 99194 4436 e fale com um dos responsáveis. VEJA MAIS FOTOS CLICANDO ABAIXO.
Informações: Manuel Cleudes.





terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

CASAL DO KM 90 ENCONTRADO PELA FAMILIA VISITA REDAÇÃO DO SEM POLEMICA.

Senhora Sebastiana e senhor Pedro Lazorick

Cassiane Lazoriek

O Casal que foi procurado pela sobrinha Cassiane Santos Lazoriek na matéria do dia 03 de Fevereiro 2015, divulgado pelo Blog Sem Polêmica, foi encontrado no km 90. O senhor Pedro Lazorick e a senhora Sebastiana Pereira Lazorick, são agricultores e mora aproximadamente há trinta anos na Rodovia Transamazônica (BR 230), na Gleba 23/A, Lote 75, no km 90, sentido Itaituba / Rurópolis, área rural deste município. Logo que o casal soube da matéria, procurou entrar em contato com sua sobrinha Cassiane e outros familiares. Senhor Pedro e senhora Sebastiana ficaram bastante felizes e agradecidos, tanto é, que fizeram questão de vir até a Redação do BLOG SEM POLÊMICA, cumprimentar o administrador. Também a senhora Cassiane Santos Lazoriek já fez vários agradecimentos emocionados endereçados ao administrador, por ter lhe ajudado a encontrar o seu Tio.
Fotografia e Texto: Manuel Cleudes.
 COMENTÁRIO NOSSO: Nós que agradecemos a credibilidade e ficamos felizes com a felicidade de vocês.  H. Marinho.

FORTES ENXURRADAS DEIXAM MORADORES EM ESTADO DE ALERTA

A senhora Maria das Dores com dificuldade para sair de sua residencia
O perigo da erosão
O coordenador da Defesa Civil do município fez um levantamento da forte chuva que caiu na noite do ultimo sábado e entrou pela madrugada de domingo, causando vários prejuízos. A parte baixa da cidade foi a mais afetada. O Rio Leitoso transbordou e trouxe pânico aos moradores da redondeza. Alguns criadores de peixes com açudes no leito do Rio Leitoso tiveram grandes prejuízos perdendo uma boa parte das suas produções. O senhor Aldênio Basegio (ICO), alem de perder uma parte da sua produção de alevinos, também perdeu várias aves levadas pela forte correnteza. O Balneário da Cachoeira trasbordou; no Bairro alvorada Próximo a serraria do Ronaldo as enxurradas também deram susto aos moradores entrando em algumas residências e causando um grande prejuízo nas vias publicas. A situação, mas preocupante levantada pela DEFESA CIVIL é no final da Rua JK no Bairro do Arroz. Uma boa parte das águas que caem na parte alta do Bairro é tão grande que formam grandes enxurradas. 
A força da enxurrada do ultimo sábado para domingo provocou abertura de uma cratera aproximadamente de 10 metros de largura e uma profundidade de 8 metros deixando pelo menos duas famílias em estado de alerta. A residência de nº 86 da dona Maria das Dores Rodrigues que mora com seus três netos menores de idade e residência da senhora Elizete Rodrigues dos Santos que mora com o esposo e um filho ficou praticamente sem condições de sair de casa por causa da cratera. A terceira residência da dona Creusa que mora sozinha, mas no momento está parando na casa de seus pais também está na mesma situação. Esses moradores precisam de ajuda de seus vizinhos para saírem das suas casas. A DEFESA CIVIL já fez um levantamento da área e está encaminhando Oficio para a Secretaria de Obras para que sejam realizados serviços de recuperação da área e que a vida desses moradores voltem ao normal. VEJA MAIS FOTOS CLICANDO ABAIXO.
Texto e fotografias: Manuel Cleudes





segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

BANCO DA AMAZÔNIA VOLTA AO ATENDIMENTO NORMAL NO DIA DE AMANHÃ.

Agência local
Ronaldo Reis - Gerente e Abdenags Ferreira Subgerente


Devido a inúmeros telefonemas recebidos principalmente de pessoas residentes na zona rural, o nosso repórter Manuel Cleudes voltou a conversar com o senhor Ronaldo Sousa dos Reis, gerente do Banco da Amazônia, agência local, a fim de saber quando aquela casa de crédito voltaria a atender, voltando à normalidade e tranqüilizando a sua clientela. Veja a entrevista:
MANUEL CLEUDES: Os servidores já estão em funcionamento?
Ronaldo Sousa: Não, está funcionando apenas um que veio de Itaituba, mas é suficiente para o funcionamento normal do banco.
MC – Os caixas eletrônicos voltaram a funcionar na última sexta feira?  Essa operação já foi normalizada?
RS - sim, os caixas eletrônicos desde a última sexta feira já estão funcionando normalmente.
Caixas eletrônicos funcionando normalmente
MC - Então o funcionamento do banco já está normalizado?
RS - sim, o funcionamento interno está normalizado desde hoje, e o funcionamento externo, que é o atendimento ao público, será normalizado a partir de amanhã, no horário das 09h00min às 14h00min.
MC - A sua proposta é trabalhar com os recursos financeiros que circulam na cidade; esses recursos são suficientes para atender a demanda?
RS - Com certeza, o dinheiro que circula na cidade, é suficiente e vamos fazer um teste com os clientes. O que observamos, é que os clientes ainda não têm uma cultura com relação a pagamentos de diversas contas que podem ser feitas através do cartão do banco, em débito ou crédito, ou através de transferência no próprio cash do banco. Esperamos que mude essa cultura para ser melhor para o cliente e para o banco. Também o cliente pode usar o TED que significa Transferência Direta de dinheiro, de um banco para o outro.
MC – Já foram calculados os prejuízos financeiros do assalto entre dinheiro roubado e dos bens danificados pelos bandidos?
RS - Ainda não, ainda não foi possível chegarmos ao valor real dos prejuízos.
MC – A filmagem do circuito interno do banco no dia do assalto, não foi danificada, elas foram entregues para a polícia?
RS - Sim, já foram repassadas ao delegado que está à frente da investigação, atendendo a um oficio da Policia Civil.  
Informação e fotografias: Manuel Cleudes      
           

RUBI OU ESMERALDA? TANTO FAZ O IMPORTANTE SÃO OS 40 ANOS DE UNIÃO!

Emanuel e Neuba Figueira - 40 anos de amor (pena que é botafoguense)


O começo...
Vi essa linda prova de amor no face, uma homenagem do Emanuel à sua esposa Neuba Figueira. Um texto homenageando sua amada, com palavras que duvido que um jovem casal de enamorados tenham a capacidade de fazer, pois só quem viveu, quem sofreu e venceu, quem ultrapassou vários obstáculos e provações é capaz de achar as palavras corretas para se dirigir a pessoa que está a tanto tempo ao seu lado e que juntos, construíram uma família e que estão convivendo em harmonia, sempre com respeito e cumplicidade. Tenho o privilégio de fazer parte da família, a eles posso chamar de tio e tia, como também posso dizer: Parabéns meu cunhado, parabéns minha irmã, que venha mais quarenta... Veja abaixo a declaração de amor de Emanuel Figueira à sua Amada.
Pela idade, deve ser valsa...
Vou escrever. Vou divulgar. Mesmo que interesse apenas a nós. DESCULPEM-ME!
RUBI
Até aqui fizemos uma longa aventura pelas estradas que escolhemos trilhar nesta vida.
Foi uma odisséia!
Foi uma extraordinária jornada!
Há muito tempo ela me escolheu e eu a escolhi.
E essa jornada, provavelmente, tantos outros casais já a fizeram e conseguiram chegar a este aeroporto, a esta estação, a esta pousada ou a este posto de abastecimento. A única e grande diferença é que essa jornada, essa aventura é só NOSSA.
Foi nela que realizamos os nossos melhores e mais bonitos projetos de vida. Foi durante essa trajetória que nos descobrimos, que nos reencontramos, que selamos e renovamos novos e antigos compromissos, foi nela que, de mãos dadas, sempre voltamos para ajustar a rota que traçamos quando pegamos as nossas mochilas e decidimos que seguiríamos juntos na "saúde e na doença, até que a morte nos separe". Foi nela que fomos namorados e experimentamos a paixão desenfreada dos amantes, nela que vivemos loucuras indescritíveis, aventurando-nos nas mais apaixonantes e estranhas sensações terrenas que ocorrem apenas quando o desejo é a emoção decidem se dar as mãos e se instalam no nosso ser para provar que podem conviver harmoniosamente com essa força poderosa que Deus, em momentos especiais, nos permite experimentar. 
Realmente, são quarenta anos...
Foi nela que decidimos nos unir pela lei dos homens para ligar as nossas felicidades e fazê-las explodir lançando nossas centelhas de alegria a nós mesmos e àqueles que, por algum motivo bom, encontramos na estrada que seguíamos. Foi nessa jornada que encontramos os nossos maiores tesouros e a nossa realização como homem e mulher. Foram os nossos três filhos que coroaram de êxito a nossa existência, tornaram-nos mais pacientes, compreensivos e nos ensinaram a ser solidários e a conhecer o sentimento ou a virtude de que fala o apóstolo Paulo na sua extraordinária definição de amor. E seguindo nós tivemos os nossos embates espetaculares, que parecia que no nosso campo de batalha apenas um, mesmo ferido de morte, poderia sobreviver. Mas, nessa luta ferrenha, compreendemos que só sairíamos ilesos e vitoriosos se decidíssemos juntos tomar um único caminho: a senda da caridade.
Hoje com rubi ou esmeralda (eu prefiro "rubi") nas mãos, no corpo e na alma, com um dia chuvoso e sombria nesta cidade onde moramos, ela e eu, sempre juntos, lembramos tudo isso e temos mais um dia para viver.
Para viver grandiosamente, espetacularmente, unicamente.
Um dia em que canto, como o sambista da União da Ilha, em 1989, em sua “Festa Profana”, cantava: ...eu vou tomar um porre de felicidade, vou sacudir, eu vou zoar pela cidade" com ela, pois, além de marido, eu serei sempre o seu fiel escudeiro.